Tendências futuras: CBDCs, combate ao branqueamento de capitais, KYC/AML

O sector das criptomoedas está em constante evolução e as tendências futuras influenciarão claramente o ambiente regulamentar.

As três áreas em que se esperam as maiores alterações são: as moedas digitais do banco central (CBDC), os regulamentos de combate ao branqueamento de capitais e de conhecimento do cliente (KYC)/antibranqueamento de capitais (AML).

CBDCs

As CBDC são moedas digitais emitidas pelos bancos centrais e baseadas na tecnologia blockchain ou noutras tecnologias digitais. Vários países, incluindo a China, a Suécia e o Reino Unido, já estão a explorar a possibilidade de introduzir CBDCs.

A introdução de CBDCs poderá ter um impacto importante nos sistemas financeiros mundiais e suscitar novos desafios regulamentares.

Combate ao branqueamento de capitais e KYC/AML

A luta contra o branqueamento de capitais e o financiamento do terrorismo continua a ser uma questão fundamental na regulamentação das criptomoedas. O anonimato das criptomoedas e a facilidade das transacções a nível mundial significam que estas podem ser potencialmente utilizadas para financiar actividades ilegais.

O cumprimento das regras KYC e AML é frequentemente obrigatório para as bolsas de criptomoedas e outros prestadores de serviços financeiros. Espera-se que o reforço destas regras garanta a utilização legítima das criptomoedas.

A regulamentação das criptomoedas continua a ser uma área em evolução, moldada pelos desenvolvimentos tecnológicos, pelas tendências económicas mundiais e pelo diálogo entre as autoridades reguladoras.

À medida que o sector das criptomoedas continua a crescer e a amadurecer, espera-se que a regulamentação se torne cada vez mais importante para os investidores, as empresas e os governos.